PINTEREST

A Magia de Montreux, a capital da Riviera Suíça!


Foi uma experiência incrível percorrer os quatros cantos da Suíça!! Cada região é marcada com uma cultura que vem predominantemente de sua língua e nesse post “A magia de Montreux, a capital da Riviera Suíça”, eu falarei sobre a região francesa da Suíça.

Montreux é uma das principais cidades francesas da Suíça, que fica localizada às margens do Lago Léman (ou Lago Genebra) e é conhecida como a capital da Riviera Suíça. Eu fiquei fascinada pela arquitetura de alguns prédios da orla, que foram construídos durante a Belle Epoque.


Como ir para Montreux?


Eu cheguei em Montreux de trem vindo de Interlaken, através do Golden Pass Express. Só precisei marcar o assento no trem panorâmico, pois o Swiss Travel Pass validava a viagem.



Eu peguei vários tipos de transportes públicos infinitas vezes, durante o período que estive na Suíça. Como eu já sabia das complicações de estacionar o carro nas cidades suíças, eu tinha feito um planejamento de realizar toda a viagem de trem, circulando também de barco, tran e ônibus.

Dica: Se chegar em Montreux de trem, sugiro que pegue o elevador ou escada rolante para descer até a orla. A estação ferroviária fica num nível acima da orla.

Dica de programação: para quem visitar a cidade durante o verão, pode acompanhar a programação do Montreux Jazz Festival. Um dos festivais mais concorridos na Suíça, dando a fama para Montreux como a cidade da música.



Onde se hospedar em Montreux?


Eu me hospedei na orla de Montreux, pois a vista é agradável, além das facilidades do comércio perto do hotel (restaurantes, mercado, lojas).

Seguem algumas sugestões de hospedagem em Monteux:


O que fazer em Montreux?


Abaixo, segue uma lista dos lugares mais visitados na cidade e arredores:

1- Castelo de Chillon: 

Peguei o ônibus 201 em frente ao Marché de Noel. Ele leva uns 10 minutos para chegar até o ponto do castelo. Após a descida, caminhe um pouco como se estivesse voltando para Montreux e já vai encontrar a porta de entrada principal do famoso castelo de Chillon.






As primeiras escritas sobre o castelo vem do século XII, época que o castelo pertencia a família Savoy, que transformou em residência de verão no século XIII. Em 1536, o castelo foi tomado por “Bernese” e transformado numa fortaleza e prisão por mais de 260 anos.  Em 1798, os patriotas de Vevey e Montreux ocuparam a fortaleza, vindo a ser propriedade nacional durante a Revolução de Vaudois.






Construído em cima de uma rocha, no pé da colina e a beira do Lago Léman, ele foi palco de muitas inspirações de escritores romancistas, como o romance “O prisioneiro de Chillon” por Lord Byron em 1816, tornando o castelo famoso.





 Atenção: o Swiss Travel Pass oferece 100% da entrada, então, quem tiver o passe, não paga para entrar no castelo e nem o deslocamento do ônibus.

Dica: o interior do castelo é interessante, com muitas salas, quartos e jardins, além do subterrâneo, que possui os arcos góticos do século XIII. Mas se você for alérgico a cheiro de objetos e móveis antigos, CUIDADO! Esse foi o único castelo que não consegui visitar por muito tempo devido ao forte cheiro de utensílios antigos guardados dentro dele.



2- Cassino de Montreux: 

Foi um dos estúdios mais requisitados por grandes artistas e bandas como Led Zeppelin, AC/DC, Pink Floyd, Freddie Mercury, entre outros. O Queen comprou o estúdio (Mountain Studio) em 1979, depois que Freddie Mercury se rendeu pela paz que habitava em Montreux.



3- Estátua de bronze do Freddie Mercury: 

Ela fica na orla, bem perto do galpão onde é feito a exposição da feira de Noel na época de Natal. Um dos pontos centrais da orla, impossível não passar por ela. Mas tenha paciência para tirar a sua foto com o ídolo, porque ele possui um fã clube gigantesco… Kkk.. Sempre que passei por lá, havia uma filinha básica para fotos.

4- Museu Queen Experience: 

Ele está localizado dentro do casino de Montreux. O ponto alto da visita é a sala de controle e os equipamentos que a banda Queen usava para gravar os seus álbuns. Se você quiser, pode criar um remix com partes de suas músicas favoritas da banda.




5- Passeio de barco pelo Lago Léman (ou Lago Genebra): 


Os barcos estilosos Belle Epoque só funcionam durante o verão. Eu não fiz o passeio, pois já tinha feito um maravilhoso pelo Lago Lucerna, através do pacote completo do trem Panorâmico Gothard Panorama Express, onde incluía o passeio de barco de uma ponta à outra do Lago Lucerna, imperdível!

6- Caminhada pelo Lago Léman ou Genebra: 


Sugiro que façam no final do dia, sem compromisso de chegar no hotel. Li em alguns lugares para ir ou voltar andando do Castelo de Chillon ou Vevey até Montreux. O quê?! Tempo é dinheiro e se tratando da Suíça, ele custa muito caro. Kkkk



Caso você tenha um dia livre e queira não fazer nada, tudo bem! Até entendo que o ócio criativo faz bem pra mente e alma. Mas não foi o meu caso. Fui para Montreux para que fosse base de alguns passeios imperdíveis como a visita a linda Gruyeres e a fábrica de chocolates em Broc.

7- Pôr do sol na orla: 


Sensacional! Não sei nas outras épocas do ano, mas o clima da Suíça no verão favorece aos visitantes uma ótima estadia no país, podendo aproveitar bem a sua programação durante o dia e curtir aquele pôr do sol inesquecível!




Arredores de Montreux:


8- Gruyeres: 


Foi um dos passeios que mais gostei quando estive em Montreux. Você também pode ir através de Interlaken. Encontre todas as informações sobre como chegar, o que fazer e onde comer em Gruyeres nesse post completo.




9- Fábrica de chocolate Cailler, em Broc: 

Eu também fiquei encantada com essa visita. Nesse dia, fiz dobradinha com Gruyeres, vale super a pena! Veja toda a programação de como chegar e o que fazer nesse post completo.




10- Vevey: 

Se algum dia eu voltar para essa região, eu gostaria de me hospedar em Vevey. É uma cidade menor, com uma badalação mais sofisticada e com atrações interessantes como o museu Alimentarium (patrocinado pela Nestlé), a casa do Charles Chaplin, curso rápido de chocolate da Laderach e uma orla cheia de vida, com pessoas se banhando no lago sem muitas preocupações, pois os barcos não passam com tanta frequência por ali, transformado um ótimo local de banho para famílias com crianças.





A estátua do Charles Chaplin fica na orla, em frente ao Alimentarium e se quiserem ver Vevey do alto, pode pegar o funicular Mont Pélerin.




11- Rochers-de-Naye: 

Dizem que em Dezembro, o papai Noel reside nessa montanha, a 2 mil metros acima do nível do mar. O trem opera o ano inteiro de Montreux para essa região e caso queira pernoitar, pode experimentar o “yurt”, uma tenda nômade nos padrões originais da Mongólia.

Eu não fiz esse passeio, mas li sobre ele. Muitos acabam pegando um tempo ruim lá em cima, por isso, fiquem atentos em escolher um dia de céu limpo. Após o passeio de trem, você precisa subir mais 200m a pé.

No inverno, um dos pontos TOPs de Montreux para esquiar.


12- Lavaux e seus terraços de vinhedos: 

O lugar foi tombado como Patrimônio Cultural pela Unesco, em 2007, sendo a maior região produtora de vinho da Suíça.



Eu passei pela região quando estava no trem indo para Lausanne e deixo essa indicação para quem gosta de apreciar vinho.  A melhor forma de chegar é de trem mesmo! No sentido de Montreux para Lausanne, você pode descer nas estações de Chardonne, St Saphorin, Rivaz, Chexbres, Cully e Lutry.

Atenção:

Não são todos os trens que param nas estações, pois alguns vão direto para Lausanne. Fiquem atentos e confiram o itinerário do trem antes de entrar no vagão.

As visitas acontecem durante um período do ano, então, verifiquem antes de ir.


Onde comer em Montreux?


Há vários restaurantes e bistrôs na orla. O que eu mais gostei foi de que quase todos oferecem um menu executivo com entrada, prato principal e sobremesa. Acaba sendo um pouco mais econômico e a comida é tão deliciosa quanto do menu lá carte.

Dica: sempre passo no mercado para comprar água e algumas guloseimas. Eu sou fascinada por novidades e o mercado local acaba sendo uma vitrine de muitas possibilidades de produtos e marcas em geral.




O supermercado Migros fica no shopping center ao lado do Marché de Noel e o Coop, que fica na rua em frente à esse shopping. Veja no mapa abaixo.




Aprenda a planejar a sua viagem e não esqueça de alguns detalhes fundamentais, como:

1- O Seguro Viagem: hoje em dia, não tem como viajar para o exterior sem o seguro viagem. Há diversos no mercado, por isso, eu sempre pesquiso pelo Seguros Promo

Você preenche o destino e a data da viagem e ele faz uma busca com as seguradoras do país,  informando o melhor preço. 

 


2- O aluguel do carro: outro item que a gente faz perder um tempão pesquisando. Hoje, eu faço a minha pesquisa através da Rent Cars, um site que compara aluguel de carro em mais de 100 locadoras do mundo. 

Sem contar que pode pagar em Real, evitando o pagamento do IOF.










Nenhum comentário

Obrigada por sua mensagem!