PINTEREST

O que fazer na Bósnia e Herzegovina?



A Karine Rosa Sydow viajou para a Bósnia e Herzegovina com o seu marido e compartilha sua experiência de viagem com os leitores do blog Na Mochila da Ninja.

Vejam mais detalhes dessa viagem dos sonhos e de muitas outras no Instagram @ka_abroad. Se gostaram, compartilhem com os amigos.


Segue relato da Karine nesse post "O que fazer na Bósnia e Herzegovina?":

No mês de Setembro, eu tenho muito para comemorar: o meu aniversário e o de casamento também. Para celebrar os nossos 4 anos de união, nós decidimos viajar para um país bem fora do comum, a Bósnia.

Por que nós escolhemos a Bósnia e Herzegovina?

Tudo começou dois meses antes da viagem, quando eu pesquisava sobre os países Bálticos e, eu fiquei encantada com tanta beleza de lugares que eram pouco explorados pelo turismo em geral, sem considerar com a riqueza da história desse povo.

Como chegar na Bósnia?

Nós chegamos na Bósnia por Tuzla usando a Wizz Air, uma low cost húngara (a maneira mais econômica de chegar). A cidade de Tuzla fica no norte do país, uma cidade bem pequena e sem muitos atrativos.



Como se locomover em Tuzla?

Antes de chegar, nós já sabíamos que não haveria transporte público, pois o aeroporto fica distante da cidade. Devido a isso, é importante que reserve translado privado ou pedir um táxi.

Acabou que nem precisamos pedir nenhum transporte, pois, durante o voo, nós ficamos amigos de um passageiro, e no fim da viagem, ele nos ofereceu carona até a cidade. Já chegamos sendo muito bem recebidos!

Qual é a moeda na Bósnia e Herzegovina?

Bósnia e Herzegovina fica na Europa mas não faz parte da União Europeia, portanto, a moeda local não é o Euro. A sua moeda chama Marco Covertivel sigla KM. A conversão é bem simples, 1 Euro = 2 KM.
Eu uso o banco N26 e toda a vez que eu sacava dinheiro em qualquer caixa eletrônico, ele já entregava na moeda local, sem precisar pagar taxas, ou ter que ir para as casas de câmbio.



O que visitar na Bósnia e Herzegovina?

Nós visitamos 4 cidades, ao total. Do norte para o sul foram: Tuzla, Sarajevo, Mostar e Pocitelj.

1- Em Tuzla:

Nós ficamos apenas um dia e foi o suficiente, pois a cidade não tem muito para oferecer. Nesse dia, nós conhecemos as duas mesquitas, uma igreja católica, uma ortodoxa e os lagos salgados de Panonika. Aproveitamos para descansar e curtir a gastronomia local.



Como chegar em Sarajevo?

No dia seguinte nós pegamos o ônibus, bem cedinho, para Sarajevo. A Passagem custou 8 euros, por pessoa, e a viagem durou 3 horas.


2- Em Sarajevo:

Nós ficamos um dia inteiro e uma noite. Que cidade grande e cheia de história!

O que fazer em Sarajevo?

Logo cedo, já fizemos o Free Walking tour, com duração de duas horas com a BH Spirit Tours. Os guias são muito preparados, dando todo o contexto histórico e político do país. No período da tarde, nós fizemos um tour privado com a mesma agência. Nós conhecemos todos os principais pontos da cidade.


Você Já ouviu falar do Cerco de Sarajevo?

Conhecer esse lugar fez eu me imaginar no passado, sendo uma criança vivendo em uma guerra. Em vários momentos do tour me senti extremamente triste. Como a gana do ser humano pode causar tanto mau ao próximo e a humanidade?!

Para você entender o que se passou por lá, vou falar um pouco do contexto histórico...

Até então considerada a "Jerusalém da Europa" devido à presença de tantos grupos étnicos e religiosos. Sua população era composta de bósnios muçulmanos, sérvios ortodoxos e croatas católicos. Uma convivência que durava mais de 500 anos, desde a época do Império Otomano.
Na Bósnia-Herzegovina não existia um “povo bósnio”, que chamamos hoje de “bósnios”, eram os “islãs”. Oficialmente, todos usavam a mesma língua, o servo-croata.
Logo após a morte do líder, o marechal Josip Broz Tito (filho de pai croata e mãe eslovena) o modelo político iugoslavo, que ele tinha criado começou a se desmantelar, o equilíbrio da Iugoslávia se quebrou. Com ela, veio a era do imperialismo sérvio.
A briga por terras e por uma “Grande Sérvia” havia começado. Sarajevo é uma cidade cercada por montanhas, onde o seu centro tem maioria muçulmana, contrastando com as periferias e capital sérvias. Para garantir o território, era necessário que os sérvios matassem os muçulmanos e os croatas (moravam em cidades e vilarejos). Eis o passo seguinte: a limpeza étnica.
A partir de 1992, Sarajevo foi completamente cercada e bombardeada, podendo ver destroços e vários prédios com marcas de bombas e de balas, ainda hoje. Não tem como não se abalar vendo tantas cicatrizes de perto. Foram 1425 dias de cerco, de sofrimento sem luz elétrica, sem água, sem comida e com muitas mortes. E não foi apenas em Sarajevo que isso aconteceu, pois outras cidades também foram destruídas. Houve um genocídio, na cidade de Srebrenica, onde todos os homens entre 14 e 70 anos foram eliminados.
O que realmente salvou Sarajevo foi o túnel construído debaixo da pista do aeroporto, que conectava a cidade com o resto do mundo. No tour privado que fizemos, nós conhecemos o Museu do Túnel: vocês podem caminhar por uma parte original do túnel, uma passagem subterrânea, que ainda hoje é chamada de túnel da vida, ou túnel da esperança.



Claro que nesse momento de tensão, a ONU participou do conflito, ajudando na pacificação e os EUA tiveram um papel fundamental para o fim dessa guerra. Um acordo de paz foi assinado no dia 14 de dezembro de 1995, na cidade de Dayton.

Um acordo que criou novas entidades políticas com base nas etnias, dividindo de fato a Bósnia-Herzegovina em duas: a Republika Srpska, dos sérvios, e a Federação Bósnio-Croata, com autonomia semelhante à da velha Iugoslávia. A presidência do país foi dividida entre um sérvio, um croata e um bósnio por oito meses rotativos.
Durante o tour, nós passamos por um vilarejo sérvio e isso continua sendo muito louco pra mim, de um lado, bandeiras da Bósnia e, do nada, você percebe bandeiras da Sérvia. Eu acho que ainda há muita tensão no local.
Por todos os locais, nós percebemos que ainda há uma atmosfera de saudades da antiga Iugoslávia, alegando uma vida mais próspera. Todos foram marcados pela guerra de alguma forma, perdendo familiares, suas moradias, suas vidas cotidianas sem as infinitas brigas étnicas. E quando questionamos a ideia de terem três presidentes, a maioria acha a situação cômica e ao mesmo tempo, preocupante, pois a economia anda estagnada, não havendo empregos para todos.

Como chegar em Mostar?

Depois de Sarajevo, nós partimos de ônibus para Mostar. A Passagem custou 11 euros, por pessoa, e a viagem durou 2 horas e meia.


3- Mostar:

Foi a nossa cidade preferida da Bósnia. Nós ficamos três dias e duas noites na cidade. O centro histórico ou Old town é perfeito e todo ornamentado com edificações de pedras.

Nós chegamos no final de semana e tivemos a felicidade de pegar o Festival de Cliff Divers da Red Bull, composta por “loucos” que saltam da Old Bridge de uma altura de 27 metros. É, simplesmente, surreal ver esse povo pulando e caindo no rio. A cidade estava borbulhando com muitos palcos alternativos e músicos em cada esquina da cidade, que, com certeza, esse evento contribuiu para deixar o lugar com uma vibe alto astral incrível.

Onde comer em Mostar?

Nós chegamos a tempo de ver alguns pulos de um restaurante com uma vista privilegiada para a ponte: o Ristorante Mio Pasto, com pratos bem servidos e com ótimo preço. Outro restaurante, com vista linda e com preço ótimo era o Restoran Lagero.


O que fazer em Mostar?

Nós passamos pela Mesquita KoskiMehmed Pasha, onde você pode subir na torre (proporciona a foto perfeita) e conhecer o interior por 3 euros, por pessoa.

Caminhando pela Old Town, toda trabalhada por um belíssimo chão de pedras, com um ar mediterrâneo. Dizem que é uma região que teve muita influência croata, talvez, por estar localizada perto da fronteira com a Croácia.

Nós atravessamos a famosa Old Bridge ou Stari Most, que além de sempre estar lotada, ela é bem escorregadia, portanto, tenham cuidado, pois vimos algumas pessoas caindo mesmo.
Nos perdemos pelo centrinho histórico e achamos a ponte mais fofa possível, a Crooked Bridge ou Kriva Cuprija, uma versão bem pequena da Old Bridge, portanto muito mais fofa!

Ao lado da pequena ponte você encontra o Black DogPub, nossa parada diária para refrescar com muitas cervejas boas, sem contar nas tantas opções de restaurantes, todos com preços bem acessíveis.


No nosso segundo dia em Mostar, nós fizemos um tour privado com a empresa Mostar X Adventures. Nós fechamos um pacote por 30 euros, por pessoa, com início para às 07:00 da manhã. Nesse tour, nós passamos por Blagaj, um lugar que possui um monastério construído em 1520, parecendo uma pintura.



Como chegar em Pocitelj?

Nós seguimos viagem para a cidade mais antiga da Bósnia, chamada Pocitelj, uma citadela toda murada, sendo pouco explorada pelo turismo em geral.

Naquele momento, nós éramos os únicos turistas no local, mas, acredito que no período da tarde, deve ter mais gente.


Curiosidade: quando os Otomanos chegaram nessa região, a citadela já existia, mas, ninguém sabia dizer ao certo, por quem foi construída.

Depois de muito sobe e desce e vistas perfeitas, nós fomos para o destino final do tour: a Kravice Waterfalls. Essa viagem me rendeu muitos UAU, pois um lugar era mais lindo do que o outro.


Como chegamos por volta das 9h da manhã, o lugar ainda não estava tão cheio. Nós pagamos 5 euros, por pessoa, para entrada. O local oferece banheiro, trocadores e três restaurantes. Diferente de outros parques, nesse, você pode entrar na água, e claro, eu já fui preparada para meu mergulho.



Se você acha que já mergulhou em cachoeiras super geladas é porque ainda não entrou nessa água..kkk... os meus pés ficaram meio dormentes com a baixa temperatura, mas, no final, você até se acostuma. Além de ser cristalina, a vibe é tão boa, que você nem liga de tremer de frio..kkk... Foi o único lugar que esbarramos com brasileiros. Muita gente que vai à Croácia, aproveita para conhecer essas cachoeiras e Mostar.

Quando nós estávamos deixando o parque por volta do meio dia, o lugar já estava bem cheio. Portanto, eu recomendo ir o mais cedo possível.
No período da tarde aproveitamos para ver a final do festival dos Cliff divers, e até, nós aparecemos na tv! rsrs Sensacional!

No nosso terceiro e último dia em Mostar, nós fizemos o Freewalking tour, para fechar a visita com um contexto histórico. Já fiz alguns melhores, mas tudo sempre é válido, com certeza.

Como voltar para Tuzla?

No fim da tarde, nos despedimos de Mostar, pois o nosso ônibus de volta para Tuzla partiu às 18:00. A passagem custou 18 euros, por pessoa, a viagem foi muito mais cansativa pois pegamos muito trânsito! Um trajeto que deveria ter durado 6 horas, levou longas 8 horas.

Quando chegamos em Tuzla, todos os restaurantes já estavam fechado, mas por sorte, perto do nosso airbnb tinha uma padaria, que nos salvou!
Nosso voo para Berlim era no dia seguinte às 6h da manhã, por isso, nós contratamos o translado no próprio hostel para o aeroporto.

O que você não pode deixar de provar?

O famoso Cevapi feito de carne grelhada, servido com pão, cebola picada e iogurte. Nós comemos todos os dias durante a nossa viagem, além de ser mega saboroso, era uma opção muito barata.

Suco de Roma, você encontra na maioria dos restaurantes, mas comprei de uma mulher nativa em Pocitelj, que estava super refrescante.

Café turco é uma experiência deliciosa para quem aprecia um bom café. Servido com pedras de açúcar e um docinho, também turco, claro. Como souvenir, é bem comum comprar o kit de café turco.

Minhas impressões sobre o povo na Bósnia e Herzegovina:


A minha primeira impressão foi um pouco ruim, pois eles não respeitam fila de jeito nenhum, parecia que queriam passar por cima de todos a qualquer custo e isso me deixou um pouco irritada. Mas, logo depois, a minha visão mudou, conhecendo pessoas receptivas e educadas. Nós ganhamos até uma carona para a cidade.

Quando visitar a cidade?


Nós fomos no início de Setembro e o clima, nessa época, muda drasticamente do norte para o sul.

Em Tuzla e Sarajevo, nós pegamos dias com temperaturas perfeitas para passear, em uma média de 23 graus celsius durante o dia, com uma queda significante, durante a noite.

Já em Mostar, o clima era de verão o tempo todo. Bem quente mesmo! Nas tardes, a temperatura chegava a subir quase 33 graus celsius. Imagina como deve ser no auge do verão? Em Agosto, as temperaturas chegam quase 39 graus celsius durante o dia. Super quente!

Como acessar a net na Bósnia e Herzegovina?

Usar o roaming é muito caro quando se está viajando, então, a melhor forma de estar sempre conectado é comprando um chip local para conectar a internet. Nós compramos um chip por 5 euros, onde tinha bastante gigas! Uma maravilha!



Aprenda a planejar a sua viagem e não esqueça de alguns detalhes fundamentais, como:

1- O Seguro Viagem: hoje em dia, não tem como viajar para o exterior sem o seguro viagem. Há diversos no mercado, por isso, eu sempre pesquiso pelo Seguros Promo

Você preenche o destino e a data da viagem e ele faz uma busca com as seguradoras do país,  informando o melhor preço. 

 

2- O aluguel do carro: outro item que a gente faz perder um tempão pesquisando. Hoje, eu faço a minha pesquisa através da Rent Cars, um site que compara aluguel de carro em mais de 100 locadoras do mundo. 

Sem contar que pode pagar em Real, evitando o pagamento do IOF.





Nenhum comentário

Obrigada por sua mensagem!