Praias no Espírito Santo

Bariloche + travessia dos Lagos Andinos!



Fui algumas vezes para Buenos Aires, mas foi na viagem que fiz para Bariloche que vi a neve pela primeira vez.

Nessa viagem, em específico, eu rodei por alguns países da América Latina, mas hoje, falarei de como, quando ir e o que fazer em Bariloche.

Mesmo já tendo ido a Buenos Aires, preferi passar o final de semana na cidade antes de chegar em Bariloche. Se você também está buscando informações sobre Buenos Aires, seguem algumas dicas importantes da cidade:


San Carlos Bariloche ou conhecida como Bariloche fica localizada na província de Rio Negro, tendo a Cordilheira dos Andes como pano de fundo. Na beira do lago Nahuel Huapi, de origem glacial situado a cerca de 700 metros acima do nível do mar, a cidade se desenvolveu através do turismo de aventura nas montanhas e no Nahuel Huapi.


Como chegar na cidade de Bariloche?

O voo de Buenos Aires até Bariloche é rápido e sem muitas preocupações. O único estranhamento pode ser pelo tamanho do aeroporto de Bariloche, se comparado com outros aeroportos, simples e pequeno.

Você pode ir direto para Bariloche através de voos fretados pelas agências, que seria uma outra opção, para quem não tem Buenos Aires em seu roteiro. Até porque, Buenos Aires tem dois aeroportos e a conexão para Bariloche é feita no aeroporto Aeroparque, que fica quase a uma hora de carro do aeroporto Ezeiza, onde há o desembarque de voos internacionais.


GOOGLE MAPS
Chegando em Bariloche, você pode sair do aeroporto Aldebaran San Carlos de Bariloche pegando um táxi ou contratando um transfer com uma agência de viagens. Muitas das vezes, vale a pena incluir um pacote de agência nos primeiros dias de sua estadia, porque ela acaba oferecendo conforto e comodidade para chegar em seu hotel e mostrar como circular pela cidade.
Você também pode alugar carro, mas não acho que seria uma boa ideia pagar a diária dele, caso a sua intenção seja esquiar em Bariloche. O carro ficaria parado quase o dia inteiro no estacionamento da estação de esqui e o custoXbenefício dele seria bem alto.

Atenção: cuidado quando alugarem carro no inverno, pois é necessário usar correntes nas rodas e sempre verificar com as autoridades locais as condições das estradas.

Na época, contratei o transfer, que me levou ao hotel e estava incluído no pacote, um city tour para o dia seguinte.

Há ônibus circulando pela cidade, mas a frequência não é das melhores. Considerando esse quesito, sai mais barato para o turista pagar o pacote de uma agência e aproveitar intensamente o dia, do que perder um tempão parado no ponto de ônibus esperando por ele em cada atração turística.

Veja bem, eu não sou adepta a contratar pacotes fechados, cada lugar tem o seu prós e contras e em minha análise, se tratando de Bariloche, foi dessa forma que circulei pela cidade nos primeiros dias.


Quando ir para Bariloche?

A cidade recebe turistas o ano inteiro e há uma programação para cada estação do ano. A cidade é muito conhecida pela temporada de esqui, que recebe turistas no período de Junho a Agosto (alta temporada), além dos esportes aquáticos nos lagos e trekking nas montanhas, nas outras estações do ano.

Eu fui no final de Setembro e para minha sorte, ainda tinha neve boa no Cerro Catedral. A estação de esqui estava em pleno funcionamento de suas atividades e aproveitei para dar meus primeiros passos na neve.




Dica: para quem é amador ou um curioso nos esportes de inverno, vale a pena visitar a estação de esqui no final da temporada de inverno, pois os preços dos pacotes são mais baratos e com poucas filas para o teleférico.




Quanto tempo ficar em Bariloche?

Se o seu objetivo é esquiar, sugiro que pegue pacotes das estações de esqui com o mínimo de 6 dias. Eles ficam mais atrativos e econômicos quando você fica por mais tempo, podendo se divertir e aperfeiçoar a sua técnica na neve com mais calma também.

Dica: geralmente, os pacotes para a família oferecem bons preços, fiquem de olho nos preços promocionais.


CERRO CATEDRAL BARILOCHE
Eu fiquei 3 noites na cidade, porque as minhas férias foram reservadas para visitar o Chile, Bolívia e Peru também. Mas tenho muita vontade de voltar a Bariloche para curtir a vibe dela por mais tempo.


Onde ficar em Bariloche?

Acredito que a grande dúvida é onde ficar em Bariloche e farei um breve comentário dos prós e contras das hospedagens no centro e no lago, que ficam na avenida Bustillo.

Centro

Prós: você tem toda uma infraestrutura de lojas e restaurantes na porta do seu hotel. Não precisa pegar carro para circular pela cidade, até porque, ela é pequena e dá pra fazer tudo a pé.

Contras: os hotéis são mais antigos, podendo ter problemas em sua infraestrutura. Importante ler os comentários dos hóspedes antes de efetuar a reserva no site Booking.com

Lago

Prós: os hotéis são mais novos, modernos e muitos oferecem chalés que deixa o clima mais romântico e agradável.

Contras: se você não alugou um carro, acaba dependendo do táxi para sair para jantar no centro. Há algumas opções no lago, mas infinitamente menor do que no centro.

Encontre a melhor hospedagem por aqui.




Booking.com



O que fazer em Bariloche?

Prepare-se para conhecer Bariloche de A a Z:

1-City tour pela cidade:


  • Catedral de Bariloche, de 1946 em estilo neogótico com vitrais coloridos e jardim bem cuidado.



  • Centro cívico: praça principal da cidade onde concentra-se os prédios administrativos como prefeitura, museu e correios. Sua arquitetura predominante é europeia, remetendo às graciosas cidades localizadas no pé dos Alpes, sistema de cordilheiras da Europa.




2-Circuito Chico: você visita o Cerro Otto e Campanário. Pelo city tour, a visita é rápida, com tempo de só tirar fotos e contemplar a paisagem, mas caso queira realizar o esquibunda no Cerro Otto, sugiro que fique mais tempo, combinando a atividade com a Confeitaria Giratória.





3-Piedras Blancas: outra opção de diversão para a família com atividades recreativas para as crianças e pistas de esquibunda, além do Winter Park.

4-Cerro Catedral: sugiro que reserve um dia inteiro para ele, caso a sua intenção seja fazer aulas de esqui. É a principal estação de esqui do local e imperdível a visita.






Dica de aluguel de roupa: os melhores preços são das lojas da cidade, mas você também pode alugar roupas e acessórios nas estações de esqui. Lembrem de levar ou comprar luvas, pois elas não são mais alugadas nas lojas, devido à epidemia de gripe H1N1, há um tempo atrás.



Dica de aluguel de equipamento de esqui: o melhor é alugar onde você vai praticar o esporte de esqui ou snowboard, pela facilidade de realizar uma troca caso precise de outro número.


5-Passeio de barco pelo lago Nahuel Huapi até o Parque Nacional de Arrayanes: ele sai de um cais quase em frente do hotel resort Llao Llao. Mas se você não curte muito passeio de barco, pode visitar o Bosque de Arrayanes pela Villa de La Angostura, há 1h de carro de Bariloche ou 1h 30m de ônibus.



6-Villa La Angostura: é uma romântica vila que foi sendo habitada pelos milionários argentinos no intuito de fugir do ritmo frenético de visitantes em Bariloche. Os preços de hospedagem e restaurante são mais elevados por causa disso, mas fica essa opção para quem procura um lugar reservado. Nela, há o Cerro Bayo, que é um ponto ideal para iniciantes de esqui.

+Pesquisar hospedagem na Villa La Angostura aqui  







7-Travessia dos lagos andinos, chamada como Cruce de Lagos: magnífica! Ela é realizada em etapas, pois há transbordo de ônibus para barco, caminhadas e embarque em outros barcos de novo. Ela demora quase o dia inteiro, passando bem perto do Cerro Tronador, o mais alto da região, com uma paisagem incrível dos vulcões Osorno e Calbuco. Os lagos percorridos são o Nahuel Huapi, Blest, Frías e Todos Lo Santos. Em uma parte do percurso, a sensação que tive foi que eu estava navegando na boca de um vulcão inativo, os lagos são belíssimos, com uma fotografia ímpar de tudo que já foi visto.

Recomendo esse passeio para quem tiver planos de conhecer o sul do Chile, como Puerto Montt, onde foi a minha parada no ponto mais ao sul do Chile.

Na última parte da travessia, nevou: deixando a paisagem ainda mais bonita.  Lembrem-se de levar roupas adequadas para realizar a travessia numa boa, pois se não, vocês vão entrar numa fria, literalmente! .. Kkk…


FOTO DO SITE VIAJE NA VIAGEM 

FOTO DO SITE VIAJE NA VIAGEM 
FOTO DO SITE VIAJE NA VIAGEM 


Nota: fiz essa viagem em 2008, não era blogueira de viagens, somente uma aventureira desbravando a América Latina. As últimas 3 fotos do post, retratando parte do Cruce de Lagos, são do site Viaje na Viagem, que possui um post completo explicando passo a passo da travessia dos lagos andinos. Clique aqui para visitar o post do Viaje na Viagem.


2 comentários:

  1. Aí que máximo! Estou contando os dias para a minha lua de mel nesse paraíso! Como vou no verão, não incluí Cerro Catedral nem Piedras Blancas no roteiro. Eh isso mesmo, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que você vai amar Bariloche! Há atividades para todas as estações do ano. Parada, você não vai ficar! kkkk

      Excluir

Obrigada por sua mensagem!