Praias no Espírito Santo

Dicas de Viagem: Chiang Mai, no norte da Tailândia!



Dicas de Viagem: Chiang Mai, no norte da Tailândia! Eu fui para Chiang Mai no trem noturno e foi uma experiência única! O post já está online e deixarei ele logo abaixo para vocês conferirem. Além dele, há outros com dicas sobre o sudeste asiático.



O apito do trem anunciava que ele já estava próximo da estação de Chiang Mai e eu, ansiosa para ver bem de pertinho a segunda maior cidade da Tailândia.

A chegada foi tranquila, pois a ferroviária possui uma boa infraestrutura para receber os seus visitantes: banheiros limpos, lanchonetes, centro de visitantes para tirar dúvidas e pegar mapas e tuktuk coletivo, na porta, para chegar até a sua pousada.


Sobre a hospedagem, há uma variedade imensa de opções, desde as mais simples até as glamourosas como os resorts. Confiram todas as opções por aqui para programar a sua estadia.



Como visitar os templos em Chiang Mai?

Nos posts anteriores, eu já havia mencionado sobre a prática de barganhar sempre quando for comprar algo. Tenham isso sempre em mente! E no transporte local não é diferente, quem não entra nesse jogo de negociar preços, acaba pagando sempre mais caro. Não há uma tabela pré-fixada para as corridas dos tuktuks, que tanto são utilizados como táxis, como para realizar passeios. Cada um faz o seu preço e vai do turista aceitá-lo ou não.

Há tuktuks como os de de Bangkok e Ayuthaya, mas também tem uns maiores, que são como camionetes que empurram uma caçamba com bancos. Um método bem interessante para levar grupos de pessoas para todos os cantos, por isso, que dizem que eles são um tipo de táxi compartilhado.




Como fazer para pegar um tuktuk?

A melhor forma é fazendo sinal e perguntando para onde ele está indo. Geralmente, ele já possui outras pessoas na caçamba que estão indo para o mesmo destino ou para lugares próximos.

Atenção: não pegue tuktuk que não está indo para onde você pretende ir, pois você corre o risco de ser o último a descer e ficar um tempo dentro dele.



Onde se hospedar em Chiang Mai?

Nesse primeiro momento, fiquei hospedada dentro do quadrado, bem pertinho de um dos templos principais: Wat Chedi Luang Temple. Da ferroviária até lá, levou por volta de uns 15 minutos.  No trajeto, o tuktuk passou pelo mercado das flores e cortou a famosa rua do Night Bazar.

GOOGLE MAPS

Ficar bem no centro do burburinho tem suas vantagens, pois você realizar o tour principal dos templos quase todo a pé e percorrer a cidade antiga (dentro do quadrado) com calma. 

Mas preparem-se!! Porque há muitos templos em Chiang Mai, eu disse muuuuuuuitos!! e cada um com a sua importância. Entao, se você estiver na cidade de passagem, precisa priorizar os principais.

Sugestão de hospedagem em Chiang Mai:




Quanto tempo ficar em Chiang Mai?

Ao total, eu fiquei 4 noites em Chiang Mai e acredito que foi o suficiente para que eu pudesse ter uma boa noção da cidade.


O que fazer em Chiang Mai?

Eu dividi os dias da seguinte forma: metade visitando templos e a outra metade do dia, andando pelas ruas históricas e me perdendo por elas até achar pontos interessantes que fazem você contemplar a cultura e história do lugar.


Primeiro dia: até chegar na pousada, fazer checkin e me preparar para sair, já estava na hora do almoço. Almocei e fui circular pela cidade antiga. Sempre faço isso no primeiro dia de viagem para reconhecer o território.



Dessa forma, eu consigo pesquisar pacotes turísticos nas agências locais, comparar preços delas com os dos tuktuks, identificar lugares bacanas para comer e onde comprar mantimentos de sobrevivência.. kkk.. água, frutas e guloseimas.


Segundo dia: eu estava hospedada bem pertinho do Wat Chedi Luang Worawi Han Temple, ao ponto de que ele ficava como paisagem panorâmica em minha janela.





Após o café da manhã, fui desbravar os encantos e magias de um dos principais templos da cidade. Mas, antes de chegar lá, parei em dois outros templos pelo caminho.. kkk.. eles são muito convidativos e para que você faça a sua programação inicial no tempo certo, precisa focar fortemente no que precisa ser visto, pois se não, vai entrar em todos os lugares pelo caminho.


Os dois foram: Wat Chai Phrakiat e o Wat Phan Tao, simplesmente magnífico.
Sabe aquele velho ditado: "Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço".. kkk.. é por ai.. porque eu entrei em todos os lugares onde o meu coração pedia.

WAT PHAN TAO

WAT PHAN TAO

WAT CHAI PHRAKIAT

WAT CHAI PHRAKIAT

Por isso que decidi separar somente a parte do dia para a programação principal e a outra metade, deixar livre, sem muitas cobranças, para perambular sem rumo.

No final do dia, eu voltei para a pousada pela Intrawarorot Road, que é uma rua emblemática, por apresentar o marco da cidade: a estátua dos 3 reis.



O monumento dos 3 reis representa a união dos reis do norte da Tailândia com o intuito de construir a cidade de Chiang Mai. São eles: o rei Mengrai, o fundador de Chiang Mai, o rei Ngam Muang de Payao e o rei Ramkhamhaeng de Sukhothai.





Além do monumento, você também pode encontrar outros lugares interessantes, como o Centro Cultural e Museu de Arte e o Wat Duangdee, que foi o templo que mais me chamou a atenção, entre outros existentes por lá.

Cuidado: só os homens que podem entrar no Wat Duangdee. Ele é uma gracinha, pequeno, e por fora apresenta a coloração preta e dourada. Por dentro? Não tenho a mínima ideia como seja.

WAT DUANGDEE

WAT DUANGDEE

Dica de pôr do sol: há bancos na praça do monumento, então, comprei o sorvete de coco tailandês (típico da região) e sentei para assistir o pôr do sol que se apresentava atrás do Wat Duangdee.




Ali pertinho, tinha uma central de bicicletas para alugar, que também é uma ótima opção de transporte para circular dentro do quadrado.




À noite, fui conhecer o comércio noturno. O mais famoso é o Night Bazar, que fica fora do quadrado, mas não muito longe. Você pode pegar um tuktuk ou andar uns 10 minutinhos até lá.






Também há lojinhas dentro do quadrado, com um artesanato mais sofisticado, além das galerias de roupas que ficam perto do Tha Phae Gate.


Terceiro dia: dia de conhecer o templo mais concorrido da região, o Doi Suthep Mountain. Como o nome já diz, ele fica no topo da montanha e o meio mais prático para chegar até ele, é pegando um tuktuk.

DOI SUTHEP MOUNTAIN

Dica: para não perder tempo, no dia anterior, já negocie com o motorista de um tuktuk a sua ida até o Doi Suthep e não esqueça de fechar o preço e o horário de partida na frente da sua pousada.

Caso prefira fechar a logística no próprio dia da visita, não tem problema, você pode fazer sinal para os tuktuks que eles param imediatamente.. kkkk.. (ficam procurando passageiros). Mas não esqueça de perguntar se ele está indo para o mesmo caminho do que o seu.

Nesse dia, fui visitar um projeto super bacana de uma empresa canadense: o Elephant Poopoopaper. Ele tem como objetivo, reaproveitar fezes de animais para produzir papel. Na maioria das vezes é fezes de elefantes. Há muitos pela região! Mas eles não discriminam as fezes e produzem de outros animais também.













Esse projeto fica bem perto de dois lugares que infelizmente são muito concorridos pelos turistas: o zôo dos tigres (Tiger Kingdom) e as mulheres girafas, as que têm argolas no pescoço.


Um leve comentário desses dois lugares:

1- Tribo das mulheres girafas

Assim que eu cheguei no lugar, há uma cancela, onde você só pode entrar se pagar. Fiquei observando o movimento da tribo e percebi uma triste realidade:
  • Os homens não produzem nada em prol da família, pois, devido às visitações turísticas para conhecer as "suas mulheres girafas", eles passam o dia jogando cartas e cobrando dinheiro dos turistas para entrar no local.

  • As crianças que são maiores tomam conta das menores, porque suas mães estão "escravizadas" sendo manequim de vitrine para as fotos dos turistas (que pagaram para entrar).
  • E as mulheres? Essas mulheres nasceram para serem exploradas até os seus últimos suspiros. Não podem ir e vir, porque o comércio turístico não permite.


2- Zôo dos tigres (Tiger Kingdom)

Você acredita, em sã consciência, que aqueles animais enormes e selvagens estão satisfeitos e felizes em morar numa jaula?

Fique sabendo que a sua ida até esse lugar patrocina esse tipo de comércio. Qual é o comércio? Manter animais selvagens em jaulas para ganhar dinheiro. E a vida desses animais, quem se importa? Talvez os que vão até lá assistir esse show medíocre esteja pouco se lixando para a saúde deles. Cada um com sua consciência.



Voltando ao tour, deixei para visitar o Wat Phra That Doi Suthep Mountain no final do dia por dois motivos:

  • A vista da cidade de Chiang Mai é incrível e gostaria de assistir o pôr do sol lá em cima, mas o tempo estava meio nublado e acabou não rolando o pôr do sol, mas fica a dica.



  • Nesse horário, o templo não fica tão cheio, porque os grandes grupos já passaram durante o dia e você consegue observar os detalhes com mais cuidado e tranquilidade.





O complexo é bem interessante. Logo no pé do templo, há uma feira com produtos locais, como artesanatos, comidas e bebidas.



Ao chegar ao templo, você pode subir tanto pelo elevador (que é pago) ou pelos 300 degraus, fica a seu critério. Caso escolha o elevador, fiquem atentos, pois há um preço para subir e um combinado para subir + descer.







Dizem que o Wat Phrathat foi construído no alto de uma montanha, porque um rei, que possuía uma relíquia de Buda, precisava encontrar um lugar sagrado pra guardá-la. Então, ele teve a ideia de prendê-la em um elefante branco. Esse elefante subiu a montanha, se ajoelhou no ponto mais alto dela e depois morreu.



À noite fui bater perna no Night Bazar.

Último dia em Chiang Mai: voltei de Chiang Rai, pois fui conhecer o exótico templo branco, mas não fiz um bate e volta como a maioria dos grupos fazem. A intenção era passar uma noite em Chiang Rai.

Se você tiver interesse em conhecer Chiang Rai, clique aqui.

Na volta para Chiang Mai, fui visitar o Wat Phra Singh, um templo com uma decoração minuciosamente elaborada nos detalhes, imperdível!








Há uma escola funcionando ao lado do templo que foi fundada com o compromisso de educar os jovens, indiferente da raça, para obter conhecimento, desenvolver habilidades e inteligência.



Um trabalho social que desenvolve os alunos em todos os aspectos: social, emocional, intelectual e religiosa. Além das turmas para conhecer a cultura tailandesa, há turmas de ciência, matemática, saúde e tecnologia.



Se você tiver tempo, vale a pena visitar:

  •  o Wat Thung Yu (perto do Wat Phra Singh)



  •  o Wat Pha On (perto do Tha Phae Gate), onde tem um lindo jardim com bancos para descansar.








Onde me hospedei no retorno para Chiang Mai?

Não me hospedei no quadrado de novo, pois já tinha circulado bem por ali. Dessa vez, fiquei uma noite hospedada próximo ao Night Bazar.

Além daquelas comprinhas básicas irresistíveis, o bazar oferece também shows ao vivo e uma praça de alimentação completa: com mesas, uma variedade absurda de comidas e bebidas.









No próximo post, falarei sobre algumas dicas de como comprar uma passagem aérea para a Ásia e como foi a minha experiência no aeroporto de Chiang Mai. Até lá! Bjus


29 comentários:

  1. Dani, Amei o post e as dicas! Infelizmente ainda não encaixei essa linda cidade nos nosso roteiro, porém um dia irei conhecer! Quantos dias vc acha que são suficientes? Achou os preços melhor que bangkok?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Márcio, fico feliz em saber que gostou das dicas, obrigada! Acredito que 4 dias são suficientes para conhecer Chiang Mai e os preços são mais em conta do que em Bangkok: hospedagem, comida e passeios.

      Excluir
  2. Dani!!!
    Amei, muito obrigada pelo texto, vai me ajudar muito na viagem.
    Beiiijooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, estou publicando a viagem da Ásia e caso você tenha alguma dúvida, me avise! Te ajudo em sua programação. :-)

      Excluir
  3. Dani, amei as fotos, e a tailândia era a bola da vez agora desse mês, mas por alguns probleminhas tive que adiar para o final do ano ou 2018.

    Estou doida pra ir no santuário aonde toma banho com elefantes e gostaria também de ir no festival das lanternas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Christine, o evento das lanternas deve ser bem interessante, já vi fotos lindas! Está rolando promoções de voo para Asia, fica de olho! Talvez consiga eu preço bacana pra Thailandia. Bjus

      Excluir
  4. Dicas muito boas, que com certeza me ajudarão muito a programar minha viagem. Agora deu mais vontade ainda de conhecer a Tailândia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Tailândia foi um presente divino em minha vida. Uma cultura bem diferente da nossa onde a simplicidade é a chave para o sucesso. Estou torcendo para que você consiga realizar a sua viagem. Bjus

      Excluir
  5. Nossa, que delícia lembrar desse lugar incrível! Sobre as mulheres girafa, tive a mesma impressão que você, e me senti até mal lá. Sobre os tigres, concordo! Não fui, pq não quero apoiar esse tipo de turismo, mas não tem como acreditar que não haja drogas para chegar perto de um bicho daquele!! hahaha Adorei o projeto PooPoo, não conhecia! Seu roteiro tá mara, acrescentaria só uma aula de culinária (mto legal!) e uma visita a um santuário de elefantes (um dos melhores dias da vida!). Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei com muita vontade de fazer uma aula de culinária, mas não tive tempo. Uma pena! Obrigada pelo elogio! A minha intenção foi escrever um post para que os leitores pudessem entender um pouco do mecanismo das visitas de Chiang Mai, norte da Tailândia. Bjus

      Excluir
  6. Que post completão! Tenho muita vontade de conhecer Chiang Mai e esse post está salvo nos favoritos já que está lotado de informações super interessantes e coisas bacanas para se fazer, além de claro: logística diária! Excelente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você vai amar Chiang Mai, além de outras cidades por onde passei na Ásia. Obrigada! Bjus

      Excluir
  7. Fiquei encantada com as dicas deste lugar.. e que lugar impressionante. Cores fortes e histórias fortes. Foi a primeira vez que vejo fotos tão bonitas que me fazem querer conhecer. Parabéns..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Asia é um continente muito marcante, bem diferente de tudo que já vimos pela europa ou américas. Vale muito a pena incluir a Tailândia em seu roteiro de viagem. Obrigada! Bjus

      Excluir
  8. Aww que lugar incrível. Tailândia é um dos destinos que mais tenho vontade de conhecer na Ásia. Cada foto linda que agora só aumentou minha vontade rs. E esses templos? Sem palavras. Eu sempre tive curiosidade para conhecer a tribo onde as mulheres girafas vivem. Achei interessante o que falou sobre o zoo para ver os tigres, eu sou totalmente contra ao uso de animais para entretenimento humano e acho isso uma total crueldade. E fico triste de pensar que ainda tem gente que mesmo sabendo da situação destes pobres animais, ainda tem coragem de pagar para este tipo de crise :(

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não desista de seu sonho de conhecer a Tailândia, Josiane. É um país incrível que você vai amar! Beijus

      Excluir
  9. Adorei as dicas de Chiang Mai, sem contar a riqueza de detalhes e as belíssimas fotos!
    Quanto templo lindo! Pena que um deles só homens podem entrar, há alguma explicação?

    Abcs,
    Priscilla

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que tenha uma explicação para isso, Priscila. Mas como ele é um templo bem pequeno e fora do circuito de templos mais visitados da cidade antiga, não havia nenhum guia para que eu pudesse fazer essa pergunta. Fico feliz que tenha gostado das minhas dicas, obrigada. Bjus

      Excluir
  10. Adorei as fotos. Ótimas dicas! Essas coisas muito exploradoras também não gosto não. Kkk adorei o faça o que eh digo mas não faça o que eu faço. Por mais que a gente se programe na hora a vontade é de ver tudo rs. Mas essa é a graça mesmo, o inesperado. Vou conferir o post do trem noturno. Bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou uma eterna curiosa... kkk.. mesmo com uma programação intensa, ainda encaixo outras novidades em cima da hora. O inesperado acaba sendo aquela pimentinha a mais no tempero... kkk.. A viagem noturna foi uma experiência maravilhosa em minha vida. Além de economizar uma diária de hotel, ainda te proporciona um contato direto com a realidade local.

      Excluir
  11. Uauu adoreii o post!!
    Acredita que meu sonho é conhecer a Tailândia, vendo ess matéria fiquei ainda mais curiosa em conhecer. Esse templos são sensacionais.
    Ótimas dicas,parabénss !! bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Espero que você consiga realizar logo o seu sonho! Bjus

      Excluir
  12. Nossa! Nao poderia ter lido esse post num momento melhor! Daqui a alguns dias estarei fazendo essa trip. Valeu demais pelas dicas, parabéns pelo blog. Ta show demais, bjos Alexandre Nunes (porondeviajo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alexandre, que ótimo que conseguiu ler antes da viagem. Aproveite bastante essa trip inesquecível e obrigada pelo elogio!! Bjus

      Excluir
  13. Adorei o post, achei legal o tuktuk (e fiquei repetindo as vezes que li rs). Imagens lindas e muita cultura né? Mas é difícil aceitar essa questão das mulheres girafas :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma cultura bem interessante! Essa questão é bem polêmica e cabe a cada um decidir patrocinar ou não. Bjus

      Excluir
  14. Dani, que post é esse, menina?
    Consegui viajar junto com você através das fotos e texto!
    Parabéns!!! ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Juliana! Fico feliz que gostou :-) Beijos

      Excluir
  15. Daniii, amei o post, ainda não tive a oportunidade de conhecer a Tailândia, mas mooorrro de vontade!

    ResponderExcluir

Obrigada por sua mensagem!