Praias no Espírito Santo

MEL DA TERRA VERDE


Você sabia que a indústria aquece o mel para manter a consistência cremosa dele? 

Perdendo assim, a qualidade nutricional que o mel poderia oferecer a sua saúde!!   

   A qualidade de vida é uma preocupação cada vez mais presente na vida humana e essa busca de aprender a viver melhor proporciona bem-estar e uma vida saudável.

   A nutrição, sem dúvida, é classificada como um dos principais fatores para manter uma boa saúde física e mental. A alimentação correta, saudável e equilibrada é fundamental para a promoção de saúde e prevenção de doenças.

  Há pouco tempo, visitei um evento que reunia pequenos agricultores e produtores orgânicos do Estado do Rio de Janeiro, os quais possuem como missão, fornecer comida saudável, sem agrotóxico e com preço justo.



  Conversei com alguns produtores para conhecer melhor o trabalho que vem sendo praticado e fiquei encantada com o projeto deles. Por isso, criei um espaço no blog para divulgação de temas, discussões e eventos que possam transmitir informações sobre a importância de uma boa alimentação familiar.

  Abaixo segue o relato do Daniel Villa Verde, ele faz parte da cooperativa informal de apicultores na região de Macaé de Cima.

  Ele vem estudando e aperfeiçoando a técnica de como oferecer o melhor mel à sociedade, sem prejudicar a rotina das abelhas e nem utilizar pesticidas, antibióticos ou alimentação artificial às abelhas.

  O papo com ele foi muito interessante e vale a pena entender melhor do mel que você está comprando.


Segue relato do Daniel Villa Verde:


Clique aqui para visualizar a apresentação de 4 variedades de mel.

   Represento um expoente de produção Apícola da região de Macaé de Cima.  Participo de uma Cooperativa informal de Apicultores com produção de Mel em uma área de proteção ambiental, sem nenhum uso de agrotóxicos.

  A região é uma APA e é o coração da Bacia Hidrográfica do Rio Macaé, com abundância de água mineral pura, o que enaltece a qualidade do Mel.  As florações são silvestres, com enfoque para predominância polínica das seguintes árvores nativas: Capixingui (Croton floribundus), Velame (Croton campestris), Sangra D´Água (Croton urucurana), Camboatá (Cupania oblongifolia), Louro-Pardo (Cordia trichotoma), Assa-peixe (Vernonia polyanthes), entre outras.



  A produção é consciente pois ela se mantem inativa no outono e inverno, visando proteção e garantia de alimento para as abelhas nos tempos frios. Trabalhamos com pólen em menor escala e os apiários são mantidos pelos seguintes Apicultores, com os quais coopero: Ladir Maforte, Nei Bandeira, Deni Müller, Alexandre Ferreira, Denilson Fonseca, Delair e Valdeir Ouverney.

Clique aqui para visualizar o mel naturalmente esbranquiçado, descristalizado e sem aquecimento.



   Meu trabalho é especificamente cooperar diretamente com os apicultores, estabelecer a relação entre os produtos e o público, estabelecer e formular o material gráfico, também o trabalho de conscientização sobre a importância dos polinizadores e todo o fator ambientalista, buscar expandir apiários, mapear enxames silvestre e, mais recentemente, iniciei o trabalho de documentação.  Ao mesmo tempo mantenho caixas de abelhas Apis e Meliponas, que, mediante carência de centro Apícola com maior espaço, é reduzido e, por enquanto, pouco produtivo. 



   Não há uso de pesticidas, antibióticos ou remédios de qualquer tipo para abelhas, não há alimentação artificial (apenas o próprio mel que produzem, assim como pelo pólen e néctar que coletam), não há pasteurização e é respeitada a sazonalidade (com isso, não há abuso das abelhas, que são mantidas de acordo com a viabilidade floral da região, sem passar do nível seguro de equilíbrio entre número de colmeias e média floral anual). 



  A região é conhecida por estar dentro das Leis Ambientais, é constantemente avaliada pelo INEA (antigo IBAMA) e conta com a maior incidência e abundância florestal (de Mata Atlântica), em APA que está conectada ao município de Cachoeiras de Macacu.



   Através do trabalho com o Mel de Macaé de Cima, foi possível desenvolver o conceito de descristalização sem aquecimento, denominado "Nuvem". É um processamento do mel que esteja em nível avançando de cristalização, que tenha sido coletado no verão, seja naturalmente mais rico em glicose e consequentemente mais claro, no intuito de trazer de volta a consistência cremosa e agradável, sem gerar HMF (Hidrometilfurfural - toxina formada por reagrupamento molecular a partir do aquecimento do Mel à 35° ou temperatura maior, por tempo prolongado), sem comprometer o fator bactericida, bacteriológico e fungicida e mantendo as qualidades nutricionais. 



   Consideramos este detalhe muito importante e o tomamos, principalmente, como ato político, vide que no Brasil, 6° maior produtor de Mel do Mundo, a enorme maior parte da produção é pasteurizada ou aquecida de forma prolongada por conta de interesses comerciais apenas, deixando de lado que todos os subprodutos das abelhas, de qualquer espécie, NÃO PODEM SER AQUECIDOS.




   No momento estou trabalhando no desenvolvimento de um documentário abrangendo os apiários locais e o lido consciente com as abelhas, associando a produção com a necessidade de que haja respeito e preservação no que se tratando da atuação dos polinizadores e a importância e contribuição destes para o Planeta.

Nenhum comentário

Obrigada por sua mensagem!